Transporte no Floema

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Referência : Moreira, C., (2015) Transporte no Floema, Rev. Ciência Elem., V3(2):100
Autor: Catarina Moreira
Editor: José Feijó
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2015.100]



A distribuição das substâncias orgânicas produzidas durante a fotossíntese a todas as células é assegurada pelo transporte através do tecido floémico. As substâncias resultantes da fotossíntese dissolvidas na água constituem a seiva elaborada, fundamental à sobrevivência das plantas. Contrariamente ao transporte da seiva bruta (água e sais minerais) através do xilema, o transporte de seiva elaborada via floema é bidireccional – das folhas para a raiz e da raiz para as folhas. A velocidade de translocação da seiva varia ao longo do ano e do dia.

Hipótese do Fluxo de Massa

Em 1930, Ernest Münch propôs uma explicação para a translocação de seiva floémica – hipótese de fluxo de massa – admitindo que a seiva se move influenciada por um gradiente de sacarose estabelecido entre os locais onde a sacarose entra no floema, folha por exemplo, e o local de consumo ou reserva da mesma. A hipótese inicial admitia apenas transporte passivo a favor de um gradiente de concentração de sacarose, mas actualmente sabe-se que também existe associado um transporte activo, nomeadamente ao nível do tecido clorofilino para o floema contra o gradiente de concentração.

Os glícidos produzidos durante a fotossíntese são convertidos em sacarose antes de entrarem para o floema. A sacarose entra nas células de companhia do floema, por transporte activo, e é conduzida aos elementos dos tubos crivosos por ligações citoplasmáticas. A entrada da sacarose nos tubos crivosos aumenta a pressão osmótica nestas células o que causa a entrada de água vinda do xilema, e fazendo aumentar a pressão osmótica, exercida nas paredes das células crivosas. A pressão de turgescência faz com que o conteúdo atravesse as placas crivosas para as células, no sentido da menor pressão osmótica. Nas regiões de consumo e armazenamento de sacarose da planta, ela é retirada do floema por transporte activo, através das células de companhia e a água regressa ao xilema por diminuição da pressão osmótica.

Embora esta hipótese não seja totalmente aceite pela comunidade científica é a que melhor explica o fenómeno de translocação do floema.

Palavras Chave: floema, fotossíntese, xilema


Materiais relacionados disponíveis na Casa das Ciências:

  1. Transporte nas Plantas, observe o movimento de nutrientes nas plantas
  2. Material Transporte nas Plantas, sabe como se dá o transporte nas Plantas?


Criada em 8 de Setembro de 2009
Revista em 8 de Setembro de 2010
Aceite pelo editor em 15 de Setembro de 2010