Albedo terrestre

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Referência : Silva, M.S., (2015) Albedo terrestre, Rev. Ciência Elem., V3(3):042
Autores: Manuel António Salgueiro da Silva
Editor: Teresa Monteiro Seixas
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2015.042]


O albedo terrestre (A) representa a fração de radiação eletromagnética solar incidente na Terra (Ei) que é refletida para o espaço (Er):

A = \frac{E_r}{E_i}

Considera-se, nesta definição, todo o espetro de radiação eletromagnética, ainda que o espetro solar seja dominado pela radiação visível. É uma medida do poder refletivo global da superfície e atmosfera terrestres, sendo o seu valor médio aceite A ≈ 0.30.



No caso de uma superfície arbitrária, os valores de A situam-se no intervalo   0 \le A \le 1, ou, em percentagem,  0% \le A \le 100%. Uma superfície branca ideal tem um albedo de 100% e uma superfície negra ideal 0%.

O albedo depende de vários fatores:

  • composição e rugosidade da superfície.
  • frequência da radiação. Quando não é explicitada a frequência ou comprimento de onda da radiação, subentende-se que o valor do albedo se refere a uma média sobre todo o espetro visível.
  • distribuição direcional da radiação incidente. Ângulos de incidência pequenos (incidência normal) originam menor albedo e ângulos de incidência maiores (incidência razante) originam maior albedo.  As exceções são superfícies Lambertanas que espalham a luz incidente em todas as direções de modo que o albedo não depende da direção da radiação incidente.




Tabela 1. Valores típicos de albedos.
Superfície Albedo (%)
Neve, fresca 75-95
Neve, velha 35-70
Gelo, cinzento 60
Água, profunda 5-20
Solo, escuro molhado 6-8
Solo, claro seco 16-18
Solo, vermelho 17
Argila, molhada 16
Argila, seca 23
Solo, arenoso 20-25
Solo, turfa 5-15
Lava 10
Tundra 15-20
Areia, dunas 20-45
Nuvem, espessa 70-95
Nuvem, fina 20-65
Estrada, asfalto 5-20



Referências

1. Roland B. Stull, Meteorology for Scientists and Engineers, 2nd. edition, Brooks/Cole, 2000.



Criada em 19 de Novembro de 2011
Revista em 21 de Setembro de 2015
Aceite pelo editor em 22 de Setembro de 2015