Ponto de ebulição

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Referência : Leal, J.P., (2014) Ponto de ebulição, Rev. Ciência Elem., V2(2):182
Autores: João Paulo Leal
Editor: Jorge Gonçalves
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2014.182]


O ponto de ebulição de uma substância no estado líquido é a temperatura à qual se dá a passagem tumultuosa do estado líquido ao estado gasoso. Esta temperatura depende da pressão exercida sobre a superfície livre do líquido e aumenta com o aumento da pressão. À temperatura de ebulição, a pressão de vapor dessa substância iguala a pressão exterior sobre o líquido.[1]

O ponto de ebulição nas condições padrão é o ponto de ebulição à pressão padrão de 1 bar (105 Pa). Neste caso, a pressão de vapor de equilíbrio é igual a 1 bar (105 Pa).[2]

Para líquidos puros, durante a ebulição a temperatura do sistema líquido-vapor mantém-se constante (Tabela 1).


Tabela 1 – Pontos de ebulição de algumas substâncias à pressão padrão de 105 Pa
Substância Fórmula Teb/K Teb/ºC
Naftaleno C10H8 491,0 217,9
Água H2O 273,1 100,0
Etanol C2H5OH 351,6 78,4
Pentano C5H12 309,2 36,0
Butano C4H10 272,0 -1,1
Diazoto N2 77,4 -195,8


Os líquidos podem passar ao estado gasoso a temperaturas inferiores ao seu ponto de ebulição através do processo de evaporação. A evaporação é um fenómeno mais lento, superficial, no qual algumas moléculas da superfície do líquido adquirem suficiente energia e passam à fase gasosa. Por outro lado a ebulição é um processo tumultuoso, no qual as moléculas, em qualquer ponto do líquido, passam à fase gasosa, originando bolhas gasosas no seio do líquido.

A separação e recolha dos componentes de uma mistura homogénea líquida por destilação baseia-se na diferença dos pontos de ebulição dos líquidos. Nem todas as substâncias apresentam, porém, um ponto de fusão e um ponto de ebulição – algumas sublimam e algumas decompõe-se termicamente.[3]


Referências

  1. A. Pires de Matos, I. Santos, J. P. Leal, J. Marçalo, N. Marques, R. T. Henriques, Química: Princípios e Aplicações, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, (2ª ed.), 2010; p. 512-513.
  2. In 1982 IUPAC recommended the value 105 Pa but prior to 1982 the value 101 325 Pa (= 1 atm) was usually used. http://goldbook.iupac.org/S05921.html
  3. C. Corrêa, F. P. Basto, N. Almeida, Química, 1ª edição, Porto: Porto Editora, 2008, ISBN: 978-972-0-42248-4, p. 16 e Caderno Auxiliar, p. 8-9


Criada em 08 de Junho de 2012
Revista em 20 de Junho de 2012
Aceite pelo editor em 20 de Junho de 2012