Plasmídeo

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Referência : Moreira, C., (2015) Plasmídeo, Rev. Ciência Elem., V3(2):114
Autor: Catarina Moreira
Editor: José Feijó
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2015.114]


Os plasmídeos são pequenos fragmentos de DNA bacteriano de forma circular. Podem ser modificados por adição de novos fragmentos de DNA e são facilmente inseridos em bactérias, sendo utilizados para o transporte de DNA para o interior de células alvo (vectores). Os fragmentos inseridos nos plasmídeos não podem exceder os 10000 pares de bases (10 Kb).

plasmideo.png
Figura 1. Ilustração de uma bactéria com plasmídeos e o cromossoma circular 1. cromossoma 2. Plasmídeos


Quando utilizados como vectores, os plasmídeos contêm pelo menos um gene de resistência a antibióticos para selecçnao das bactérias transformadas, um local onde a replicação se inicia e sítios específicos para reconhecimento de enzimas de restrição que cortam e abrem a molécula circular. O fragmento de DNA a ser inserido é preparado de forma a que tenha extremidades coesivas que sejam complementares às criadas pela enzima de restrição. Os plasmídeos abertos e os fragmentos de DNA a inserir são misturados, e pela acção de uma enzima (ligase do DNA) são unidos. Nem todos os plasmídeos se ligam aos fragmentos, alguns tornam a fechar a molecular sem qualquer inserção de novo DNA.

Os plasmídeos com o novo fragmento DNA inserido são introduzidos nas células bacterianas hospedeiras através de um processo denominado por transformação. As bactérias e os plasmídeos são misturados num meio contendo cloreto de cálcio, que torna a parede celular das bactérias permeável, permitindo a passagem do plasmídeo através da parede celular para o citoplasma no interior da célula. Nem todas as bactérias irão receber plasmídeos embora muitas recebam mais de um no seu interior.

Os plasmídeos contêm um gene que lhes confere resistência a antibióticos para além do gene que se introduziu. Adicionando um antibiótico ao meio de cultura vai-se matar qualquer célula que não tenha adquirido plasmídeos, possibilitando uma identificação directa das bactérias modificadas por plasmídeos (caso o gene tenha sido introduzido na zona de resistência ao antibiótico, reconhecem-se as células modificadas pela sua morte na presença do antibiótico). No interior das células hospedeiras, o DNA da bactéria replica-se independentemente dos plasmídeos que também se replicam. Estes mecanismos de replicação independente permite a amplificação de um elevado número de cópias de clones de DNA (em condições óptimas cada célula poderá efectuar cerca de 200 cópias de um plasmídeo).


Plasmid episome.png


Figura 2. Replicação dos Pasmídeos

1. DNA bactéria 2. Plasmídeo 3. Replicação da célula 4. Integração do Plasmídeo no DNA da bactéria


Filme 1. Plasmídeos


Palavras chave: Vector, DNA, replicação, transformação



Criada em 09 de Abril de 2011
Revista em 13 de Julho de 2011
Aceite pelo editor em 05 de Janeiro de 2012