Lagoas glaciares

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Autor: Fernando Carlos Lopes]
Editor: Luís Vítor Duarte
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2018.048]
PDF Download



Estas lagoas formam-se na extremidade dos glaciares que descem dos calotes glaciares. São alimentadas pelo desgelo natural dos glaciares e nela flutuam pequenos e grandes icebergues que se separam da frente do glaciar (Figura 1).


FIGURA 1. Esquema 3D (sem escala) da formação de icebergues numa lagoa glaciar.


Um exemplo notável deste tipo de lagoas, é a lagoa de Jokulsarlon, considerada uma das maravilhas naturais da Islândia[1]. Fica situada no sudeste da ilha, na extremidade do glaciar Breiðamerkurjökull, uma das línguas glaciares do calote de Vatnajökull (Figuras 2 e 3).


FIGURA 2. Icebergues na lagoa glaciar de Jökulsárlón. Ao fundo vê-se a frente do glaciar Breiðamerkurjökull. As faixas negras nos icebergues são níveis de cinza vulcânica.

FIGURA 3. Os magníficos icebergues azuis da lagoa glaciar de Jökulsárlón, Islândia.


A lagoa de Jökulsárlón é o ponto mais baixo da Islândia, com zonas à cota de -200 m. Na baía da lagoa tem-se acesso a uma paisagem de outro mundo, com icebergues de dimensões variadas que flutuam até ao mar, ficando alguns deles encalhados na margem de uma praia de areia vulcânica. Alguns icebergues exibem faixas negras correspondentes a níveis de cinzas vulcânicas provenientes de antigas erupções (FIGURA 2). Outros exibem duas tonalidades: branco leitoso e azul claro (FIGURA 3). A faixa azul corresponde à porção do icebergue que se tornou recentemente emersa.

A lagoa terá sido formada em 1934-35 pelo continuo recuo do glaciar Vatnajökull, e terá duplicado de tamanho nos últimos 15 anos. Dada a taxa atual de recuo do glaciar Vatnajökull, um profundo fiorde irá desenvolver-se no local onde hoje existe a lagoa.

Referências

  1. ZAKHAROVA, N., Iceland field guide Arthur D. Storke Memorial Expedition. In: Jason Jweda and Margaret Reitz, eds. Department of Earth and Environmental Sciences, Columbia University, 2010.


Criada em 23 de Outubro de 2017
Revista em 23 de Outubro de 2017
Aceite pelo editor em 18 de Junho de 2018