Espécie

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Referência : Moreira, C., (2014) Espécie, Rev. Ciência Elem., V2(2):145
Autor: Catarina Moreira
Editor: Élio Sucena
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2014.145]



Em biologia a espécie é a unidade básica das classificações biológicas e é também um grupo taxonómico. Considerado muitas vezes o grupo taxonómico mais natural tem um papel muito útil nos estudos científicos.

O conceito de espécie mais comummente aceite entre a comunidade cientifica é o conceito biológico que define a espécie em termos da capacidade de reprodução entre indivíduos de diferentes populações. Segundo o conceito biológico de espécie, definido por Ernst Mayr e Theodosius Dobzhansky, uma espécie é constituída por grupos de populações naturais compostas de indivíduos interférteis, que produzem descendência fértil e que estão reprodutivamente isolados de outros grupos semelhantes.

Esta definição de espécie, sendo geralmente aplicado a organismos multicelulares com reprodução sexuada, exclui algumas situações, em particular organismos unicelulares que se reproduzem assexuadamente, e organismos multicelulares que se reproduzem por partenogénese.

Estas excepções ao conceito biológico de espécie levaram à adopção de um conceito mais geral em que se define espécie como organismos de populações com um elevado grau de semelhança genética. Esta semelhança pode reflectir uma adaptação a um mesmo nicho e a existência de um fluxo genético entre indivíduos.

A dificuldade em encontrar um conceito universal de espécie levou a comunidade científica a utilizar diferentes conceitos consoante o grupo de organismos em estudo.

O conceito de espécie, como outros tem sofrido alterações ao longo do tempo. A espécie tal como era descrita por Aristóteles e seus sucessores, possuía uma “forma” ou “essência”, e a variabilidade intra-específica era atribuída a imperfeições adquiridas durante o processo de actualização dessa “forma”. Esta ideia não permitia a transformação de uma espécie noutra, uma vez que a essência era inerente à espécie e diferente de espécie para espécie.

Darwin, em 1859, apresentava o que ficou conhecido como conceito morfológico de espécie, definindo espécie como objectos bem definidos, cujas morfologias são suficientemente distintas para estabelecer a fronteira entre espécies. Outro avanço foi o reconhecimento da politipia das espécies, permitindo a identificação de subespécies geralmente associadas a variações geográficas. Esta percepção da variedade deveu-se às grandes colecções museológicas onde, por vezes, à mesma espécie eram atribuídos nomes distintos.

Actualmente e, dada a dificuldade em reunir num só conceito universal uma descrição de espécie, existem vários conceitos de espécie, por exemplo:

  • Conceito ecológico de espécie: Um conjunto de organismos adaptados a um conjunto particular de recursos, nicho, num determinado ambiente.
  • Conceito genético de espécie: É baseado na semelhança genética dos indivíduos ou populações




Criada em 20 de Outubro de 2009
Revista em 15 de Setembro de 2010
Aceite pelo editor em 01 de Novembro de 2010