Cianobactéria

Da WikiCiências
Share/Save/Bookmark
Ir para: navegação, pesquisa

Referência : Munzi, S., Gouveia, C., (2018) Perguntem aos líquenes, Rev. Ciência Elem., V6(1):008
Autoras: Silvana Munzi e Catarina Gouveia
Editor: Rubim Almeida da Silva
DOI: [http://doi.org/10.24927/rce2018.008]
PDF Download



Uma cianobactéria é um microrganismo procariota fotossintético conhecido como alga verde-azul (ciano pela cor azulada) embora não seja uma alga. É uma bactéria gram-negativa capaz de fotossintetizar dióxido de carbono em açúcares, e capaz de fixar o azoto que existe na atmosfera e convertê-lo duma forma inerte numa forma passível de ser utilizada pelos outros seres vivos. Embora microscópicos, podem crescem em colonias visíveis a olho nu, sendo que um rápido crescimento em ambientes marinhos podem dar origem aos conhecidos “algae bloom” ou eflorescência algal observados nos oceanos. No éon geológico Arqueano, foram os responsaveis pelo aparecimento do oxigenio na atmosfera terrestre que na altura tinha uma composição química muito diferente. Podem ser encontrados na sua maioria em ambientes aquáticos, mas algumas encontram-se também em ambientes terrestres. Podem também formar associações simbióticas, como por exemplo com fungos, formando líquenes, ou com plantas como o arroz.


Bibliografia

  1. Cernava, T., Aschenbrenner, I.A., Soh, J., Sensen, C.V., Grube, M., Berg, G. (2018) Plasticity of a holobiont: desiccation induces fasting-like metabolism within the lichen microbiota. https://doi.org/10.1038/s41396-018-0286-7
  2. Deacon, J. (2013) Fungal Biology, 4th Edition. Blackwell Publishing Ltd.
  3. Hamilton, T.L., Bryant, D.A., Macalady, J.L. (2016) The role of biology in planetary evolution: cyanobacterial primary production in low-oxygen Proterozoic oceans. Environmental Microbiology 18(2), 325–340.
  4. Hoek, C., Van den Hoeck, H., Mann, D., Jahns, H.M. (1995) Algae: An Introduction to Phycology. Cambridge University Press.
  5. Henriksson, E., Simu, B. (1971) Nitrogen fixation by lichens. Oikos 22, 119-121.
  6. Komárek, J., Kaštovský, J., Mareš, J., Johansen, J.R. (2014) Taxonomic classification of cyanoprokaryotes (cyanobacterial genera) 2014, using a polyphasic approach. Preslia 86, 295–335.
  7. Nash, T.H. (2008) Lichen Biology, 2nd Edition. London: Cambridge University Press.
  8. Nimis, P.L., Scheidegger, C., Wolseley, P. (Eds.) (2002). Monitoring with Lichens - Monitoring Lichens. Nato Science Series: IV.
  9. Ragan, M. (1998) On the delineation and higher-level classification of algae, European Journal of Phycology, 33:1, 1-15, DOI: 10.1080/09670269810001736483
  10. Spribille, T. (2018) Relative symbiont input and the lichen symbiotic outcome. Current Opinion in Plant Biology 44, 57-63.
  11. Váczi, P., Gauslaa, Y., Solhaug, K.A. (2018) Efficient fungal UV-screening provides a remarkably high UV-B tolerance of photosystem II in lichen photobionts. Plant Physiology and Biochemistry 132, 89-94.


Criada em 11 de Janeiro de 2018
Revista em 26 de Janeiro de 2018
Aceite pelo editor em 14 de Março de 2018